por Gisela Campiglia

A espiritualidade faz parte da natureza humana, nós já nascemos com ela. A religião é o caminho que cada um escolhe para desenvolver sua espiritualidade. Repare, os índios não têm religião, mas praticam a espiritualidade.

Algumas pessoas costumam dizer que praticamos a espiritualidade quando usamos nosso Eu Superior, nossa consciência elevada.

Eu gosto de definir a pratica da espiritualidade como uma forma de viver, uma postura de vida em que você escolhe atuar através do seu espírito para guiar suas ações. Essa prática pode acontecer em qualquer lugar e a todo momento. Não apenas quando você está em um ambiente religioso. Afinal de contas, quando você vai para uma festa, para o trabalho, ou para casa, o seu espírito vai junto com você.

Estudar sobre espiritualidade é uma coisa, praticar a espiritualidade é outra bem diferente. Não adianta decorar os ensinamentos dos livros, mas não se comportar de acordo com o que aprendeu. Tem muita gente que vai tomar passe no centro espírita, mas quando sai de lá começa a falar mal do chefe, do filho, do marido. Começa a poluir os bons fluidos que recebeu, e acaba por jogar fora a oportunidade de melhora que os amigos espirituais propiciaram. No meio espirita chamamos essas pessoas de ‘papa passe’, elas vão toda semana no centro espírita, mas nunca melhoram, porque não fazem a parte que lhes compete dentro do tratamento espiritual. Amorosos, sábios e pacientes, os mentores espirituais se mantêm firmes no auxílio, sem julgamentos! Mas, sempre nos lembram que não podem caminhar com nossas pernas, o caminho evolutivo é único e intransferível! O sucesso de um tratamento espiritual depende de uma parceria, entre aquele que ajuda e quem é ajudado.

Grandes mestres da humanidade como Jesus, Budha, Krishna, e tantos outros, podem e devem formatar a base do conhecimento para o desenvolvimento espiritual de cada pessoa.

No entanto, a prática da espiritualidade precisa ser vivenciada, precisa ser sentida para fazer sentido! O resultado dessa dedicação é o aumento da sabedoria, da amorosidade e do equilíbrio. A grande mudança é que o ponto de vista do espírito passa a ser utilizado para guiar atitudes, e interpretar os acontecimentos da vida. Mesmo que as percepções que você capte não tenham nenhuma lógica racional, você considera e fica atento aos sinais, para poder decidir qual é o melhor caminho a seguir, ou, entender qual aprendizado aquela intuição vai lhe mostrar. Desta forma, você expande a sua capacidade de realização, porque seu campo de percepção fica ampliado, ele vai muito além dos fatos materiais.

A pratica da espiritualidade aumenta a nossa capacidade de amar, e é isso que viemos fazer aqui na terra, amar cada vez mais e melhor! Quando você vive a sua espiritualidade, escolhe cooperar mais e competir menos, ajudar mais e criticar menos, você procura colaborar com o bem coletivo, ao invés de buscar apenas a realização dos seus desejos, porque sente que somos todos um.

A prece da pessoa espiritualizada é ampla e inclusiva, não se dirige apenas a ela e a própria família, porque existe a consciência de que a nossa família é muito grande, somos todos irmãos em humanidade!

A pratica da espiritualidade é muito importante, porque quando você deixar o plano físico, todos os bens materiais que você conquistou vão ficar aqui, mas o desenvolvimento espiritual que alcançou, você vai levar por toda a eternidade.

Somos constituídos de corpo, mente, emoções e espírito, busque utilizar todo o seu potencial de ação para evoluir e ajudar a transformar o mundo num lugar melhor!
Adote essa forma de viver a vida, pratique a sua espiritualidade no seu dia-a-dia!

Deixe uma resposta