Hoje, 22 de abril, comemoramos o Dia Internacional da Mãe Terra, ou somente o Dia da Terra. A data foi oficializada em 2009 pela Assembleia Geral das Nações Unidas e escolhida em memória ao evento onde milhões de pessoas foram às ruas protestar contra os impactos ambientais causados pelo desenvolvimento industrial em 22 de abril de 1970.

Este dia oferece uma oportunidade de aumentar a consciência pública em todo o mundo para os desafios relacionados ao bem-estar do Planeta e a toda a vida que ele sustenta. Este é um momento para refletir sobre como as nossas ações interferem nos ecossistemas, e no quanto estamos interligados com as outras formas de vida que existem. Aproveite para se questionar: “o que eu tenho feito para o bem de todos, para o bem do nosso Planeta?”. Se você não souber a resposta, é preciso ir em busca dela.

A Cigana Espiritual Carmecita, em 12 de fevereiro de 2020, fez uma importante reflexão da nossa presença aqui na Terra: “É fácil culpar as catástrofes, o descaso do governo, mas e nós? Onde estamos inseridos no processo de ajuda à evolução do Planeta que ganhamos do Cristo para nos desenvolvermos enquanto espírito eterno? Não podemos falar das coisas do espírito sem tirar a responsabilidade de nossos atos em nossa vivência diária, porque este Planeta foi criado exatamente para nos desenvolvermos.

Como estamos cuidando do nosso Planeta? Como estamos cuidando da nossa casa, do nosso bairro, da nossa cidade? Estamos todos envolvidos no processo de buscar respostas prontas, mas, qual parte de nós está realmente envolvida para fazer as coisas acontecerem, para fazer as coisas darem certo?

Verdadeiramente, a evolução se dá dentro de nós e das ações que praticamos no dia a dia. Tudo é possível àquele que crê, mas, antes de crer, nós precisamos nos comprometer. Eu creio, eu me comprometo, eu realizo fazendo a parte que me cabe. A palavra tem poder, e a ação também. Tudo que fazemos tem consequências e ressonância direta em nossa vida. Uma sociedade justa, limpa e organizada é uma sociedade feliz, portanto, se este for o seu desejo, faça a sua parte.”

Que possamos reconhecer a nossa responsabilidade coletiva para ajudar a promover a harmonia com a natureza e a Terra, para alcançarmos um equilíbrio justo entre as necessidades econômicas, sociais e ambientais das gerações presentes e futuras da humanidade.

Deixe uma resposta